quinta-feira, 21 de junho de 2012

Primeiro dia de oração

Olá, caro leitor. A paz de Cristo! Como publicamos no domingo, hoje começamos nossa novena para rezar em prol da castidade. Hoje rezamos pela castidade nas famílias. Faça conosco a meditação abaixo e não se esqueça de depois rezar o Santo Terço. Um abraço fraterno e um bom dia para você.


Primeiro dia de oração : pela santificação das famílias


Dia de São Luiz Gonzaga, padroeiro da juventude e da castidade


Exame de consciência

A castidade dentro das famílias é atacada de vários modos: pela infidelidade conjugal, pelo divórcio, pelo abuso sexual, pelo desvirtuamento das relações sexuais entre o esposo e a esposa, pelos pensamentos impuros, pelos conteúdos eróticos de filmes, séries e programas televisivos. Mesmo os viúvos são tentados a cultivar relacionamentos e atividades sexuais fora do casamento. Além dessas há outras feridas nas famílias que afetam especialmente aqueles que sentem atração pelo mesmo sexo. A distância entre pais e filhos, de modo que muitos pais sofrem porque não sabem como ajudar os filhos nos seus dilemas, lutas e dificuldades. Também, é um problema a falta de confiança dos filhos nos pais, de modo que muitos dos filhos, enfrentando suas paixões, sofrem porque não sabem se confiam ou não nos pais, para lhes confidenciar suas lutas. Mesmo entre os esposos há distanciamento, porque alguns não sabem se confiam suas lutas a esses com quem firmaram uma aliança de amor.

Considerando isso, pensemos em como temos vivido em nossas famílias:

(1) Tenho sido bom pai, boa mãe ou bom filho? Tenho amado meus familiares, servindo-os no que precisam ou tenho me colocado em primeiro lugar e os ignorado? 

(2) Tenho sido bom esposo ou boa esposa? Tenho sido fiel à aliança que eu fiz diante de Deus e por amor ao meu cônjuge? Tenho manifestado esse amor diante dos meus filhos? Eu, como filho, tenho honrado meus pais, obedecendo-os e dando-lhes alegria? 

(3) Tenho oferecido aos meus familiares minha atenção e os meus ouvidos? Repreendo-os sem ouvir o que dizem ou os acolho com amor e os ajudo a buscar seu bem? 

Leitura breve

Escritos de São Josemaria Escrivá, extraídos de "Forja".

"Comove-me que o Apóstolo qualifique o matrimônio cristão como 'sacramentum magnum' - sacramento grandioso. Também daqui deduzo que a tarefa dos pais de família é importantíssima. Participais do poder criador de Deus, e é por isso que o amor humano é santo, nobre e bom: uma alegria do coração, a que o Senhor - na sua providência amorosa - quer que nós outros [sacerdotes] renunciemos livremente. Cada filho que Deus vos concede é uma grande bênção divina: não tenhais medo aos filhos!" (691).

"Agradece a teus pais o fato de te terem dado a vida, para poderes ser filho de Deus. - E sê ainda mais agradecido, se foram eles que puseram na tua alma o primeiro germe da fé, da piedade, do teu caminho de cristão ou da tua vocação" (19).


Oração

Nós vos pedimos, Senhor Jesus, que santifiqueis as famílias. Guardai os corações dos esposos para que conservem a fidelidade. Guardai os corações dos filhos para que não se sujem com a promiscuidade. Guardai os olhos deles todos para que não sejam porta de entrada para o que vos desagrada. Conservai os viúvos na perseverança da pureza, enquanto os consolais com a vossa misericórdia. Inflamai o amor entre os esposos e entre pais e filhos, para que honrem uns aos outros e partilhem entre si de recíproca confiança. Que a vossa Sagrada Família interceda pelas nossas. Confiamo-nos à intercessão da Santíssima Virgem, vossa mãe, e de São José, São Carlos Lwanga, São Tomás de Aquino, São Luiz Gonzaga e dos santos anjos da guarda. Isso nós pedimos a vós, Senhor Jesus, que viveis e reinas pelos séculos dos séculos. Amém.   


(Oração opcional)



Ó Santo Luiz, adornado de angélicos costumes, eu, vosso indigníssimo devoto, vos recomendo singularmente a castidade da minha alma e do meu corpo. Rogo-vos por vossa angélica pureza, que intercedais por mim ante ao Cordeiro Imaculado, Cristo Jesus, e sua santíssima Mãe, a Virgens das virgens, e me preserveis de todo o pecado. Não permitais que eu seja manchado com a mínima nódoa de impureza; mas, quando me virdes em tentação ou perigo de pecar, afastai do meu coração todos os pensamentos e afetos impuros e, despertando em mim a lembrança da eternidade e de Jesus crucificado, imprime profundamente no meu coração o sentimento do santo temor de Deus e inflamai-me no amor divino, para que, imitando-vos cá na terra, mereça gozar a Deus convosco lá no céu. Amém. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.