sexta-feira, 22 de março de 2013

[QSH] Existe um gene gay?


Muitos nos perguntam e se perguntam se há evidências da existência de um gene que determine a homossexualidade, o que chamam comumente 'gene gay'. Deixamos, nesta questão, a palavra aos cientistas:

De “Myths and Misconceptions about Behavioral Genetics and Homosexuality,” by Douglas A. AbboB, Ph.D.,July 2007”:
  • “Genética comportamental é o estudo das influências genéticas no comportamento humano. Comportamento se refere a ‘ações observáveis, ou até mesmo emoções ou humores’. Apresentando estatísticas de probabilidade, pesquisas estimam a contribuição comparativa de ambos genes e ambiente em moldar um comportamento.”
  • “Um gene é um segmento de DNA – com centenas ou milhares de nucleotídeos – que parecem agir juntos de uma maneira orquestrada. Genes agem em duas maneiras principais: eles dirigem a manufatura de proteínas, e ativam ou desativam outros genes.”
  • “O ambiente é qualquer influência não genética, incluindo entidades biológicas internas como nutrientes, vírus e medicamentos... e qualquer força que colide com a pessoa (de fora) como vida familiar, colegas, mídia, variações de clima e desastres naturais, doenças e guerras.”
  • “Comportamentos psicossociais complexos como preferência sexual não são determinados por um único gene, mas por um processo genético-ambiental envolvendo possivelmente centenas de genes agindo através de complexos fatores ambientais.”
    .
De “The Importance of Twin Studies”, por N. E. Whitehead, disponível em inglês em aqui:
  • “Gêmeos idênticos têm genes idênticos. Se a homossexualidade fosse uma condição produzida inevitavelmente por genes, então se um gêmeo idêntico fosse homossexual, em 100% dos casos seu irmão também seria. Mas nós sabemos que só em aproximadamente 38% do tempo o irmão gêmeo idêntico é homossexual. Os genes são responsáveis por uma influência indireta, mas... eles não forçam as pessoas à homossexualidade. Essa conclusão tem sido conhecida na comunidade científica por algumas décadas, mas não chegou ao público geral. De fato, o público cada vez mais acredita no oposto.”
    .
De “The Language of God: a scientist presents evidence for belief, New York: Free Press, 2006”, por Dr. Frances S. Collins, MD, Ph.D., chefe do Projeto Genoma Humano:
  • “Exceto pelas anormalidades físicas raras (tais como a doença de Huntington), no momento presente não existe uma evidência de uma causa direta entre um único gene e um comportamento psicossocial complexo como preferencia sexual.”
  • “A evidência indica que a orientação sexual é geneticamente influenciada, mas não limitada pelo DNA, e qualquer gene que estiver envolvido representa predisposições, não predeterminações.”
  • “O ambiente pode influenciar a expressão genética, mas a livre vontade e fatores ambientais determinam a resposta para qualquer predisposição que possa estar presente.”

DeHomosexuality 101: What Every Therapist, Parent, and Homosexual Should Know,” por Julie Harren, Ph.D., LMFT (disponível em ingles em aqui):
  • “Sentimentos (homossexuais) tipicamente se originam de uma combinação de fatores temperamentais e ambientais que ocorrem na vida de uma criança. Uma maneira de entender essa combinação pode ser expressa na seguinte equação:
         Genes + ligações no cérebro + ambiente hormonal pré-natal = Temperamento
          Pais + colegas + experiências = Ambiente
          Temperamento + Ambiente = Orientação Homossexual”
  • “Percepções são muito importantes... [e] mais poderosas que o que realmente acontece, porque as percepções se tornam a realidade daquela pessoa. As percepções são influenciadas pelo temperamento. Temperamento é o contribuinte biológico; entretanto, o temperamento sozinho não é suficiente para criar uma orientação homossexual. O tipo de temperamento deve encontrar os fatores ambientais certos para produzir atração pelo mesmo sexo.”

De “What Do First Ages of SSA or OSA Tell us about their origins?” por N.E. Whitehead (The NARTH Conference Papers 2006):
  • “O tempo da puberdade, assim como o tempo de gestação, primeira dentição e menopausa estão de modo rigoroso sob o controle genético e ocorrem em um período relativamente curto. Independente da idade de primeiro reconhecimento da AMS (atração pelo mesmo sexo) e ASO (atração pelo sexo oposto), elas estão espalhadas em um longo período de tempo. Elas estão em uma classe diferente de eventos da vida como puberdade e então com quase certeza pouco pré-programadas.”
  • “A frase ‘nascido desse jeito’ significa nesse contexto predestinado, obrigado a desenvolver uma atração pelo mesmo sexo (AMS) ou atração pelo sexo oposto (ASO). Nesse sentido seria como a puberdade. Seria um evento biológico, programado e deveria ter uma curta duração de tempo, como a puberdade e outros conhecidos eventos de origem biológica...”
  • “Entretanto, nós temos que dizer que (a) AMS e ASO são grosseiramente diferentes dos eventos biológicos conhecidos e que (b) sua idade pico mudou dramaticamente nos últimos 50 anos e que isso mostro que elas são muito influenciadas por mudanças de influências dentro de uma cultura. Parece que existe pouca contribuição genética.”
  • “Em vez de AMS ou ASO serem exemplos notáveis de eventos biológicos inatos, eles parecem menos inatos que qualquer outro evento da vida do qual podemos encontrar dados.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.