terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

[Esp] Três passos para superar o desânimo


COMO SUPERAR O DESÂNIMO?




É muito comum, em nossas vidas, sermos acometidos momentaneamente pelo desânimo. Muitos de nós, em sua batalha espiritual, e mesmo pelas contrariedades advindas da AMS (atração pelo mesmo sexo), esmorecem diante dos obstáculos diários. Uma falta contra a castidade, a carência afetiva, a solidão, a necessidade de falar com alguém sobre a própria atração e não sentir confiança em ninguém ou ter medo, a sensação de não pertencer aos grupos que frequenta, o pensamento de que é tão difícil o caminho de santidade... Outras vezes, o desânimo vem de não sabemos qual lugar, do nada, sem razões aparentes. Em qualquer situação, não podemos nos abater. Deus nos ama acima de tudo, e provou esse amor dando-nos Seu Filho, que também provou Seu amor por nós morrendo na Cruz. O seguinte artigo, retirado da página The Catholic Gentleman (aqui), nos fala dos passos necessários para superar o desânimo e aproveitar de nossos sofrimentos para nos unir aos de Cristo.

***

Recentemente, durante alguns dias, sentia-me muito infeliz, preocupado com algumas coisas ocorrendo em minha vida e no mundo. Gostaria de poder dizer que lidei com esse período de desânimo com desembaraço e com altas doses de esperança, paciência e fortaleza; no entanto, ocorreu o oposto – lidei mal com ele.

Nas profundezas da frustração, enviei alguns e-mails descrevendo minhas lamúrias. Queixei-me com minha mulher e com meus colegas de trabalho. Sentia dó de mim mesmo, remoendo sobre como as coisas estavam ruins. Eu era um queixoso de primeira classe.

Dito isso, acredito firmemente que uma falha pode ser benéfica se nós aprendemos com ela. Fazendo uma retrospectiva, eis três coisas as quais eu deveria ter feito em vez de sentir dó de mim mesmo, e as quais você deve praticar se se sentir desanimado.

1. Reze – A oração é a respiração da vida espiritual. Se não estivermos rezando, estaremos vagarosamente nos sufocando espiritualmente. É claro que, quando enfrentamos dificuldades ou o desânimo, muitas vezes a última coisa que pensamos em fazer é rezar. Que seja. Levante-se homem, supere sua sensação de desgosto pela oração, e simplesmente reze.

Em vez de ficar se lamentando com sua família ou amigos, esvazie o seu coração diante de Deus. Posso assegurar a você que Ele sabe como lidar com isso. Ele é um Pai amoroso, e deseja ajudar você em seu sofrimento. Passe uma hora diante do Santíssimo Sacramento, deixe que Jesus o cure e o fortaleça. Leia alguns Salmos de lamentação, como os Salmos 12, 44, 60 ou 72 (esses números são relativos à nova numeração. Subtraia um número se estiver usando uma versão da Escritura com numeração antiga).

Reze o Terço. Nossa senhora é conhecida como a Estrela do Mar, a Consoladora dos Aflitos, o Refúgio dos Pecadores, Spes Nostra – nossa esperança. Ela o consolará melhor do que qualquer mãe amorosa poderia consolar, e concederá as graças que você precisa para perseverar.

2. Medite na Paixão – Pode parecer paradoxal, mas a coisa mais saudável que você pode fazer quando se sentir desanimado é meditar na Paixão e Morte de Jesus. Assim disse São João da Cruz: “Quando tiveres algum aborrecimento e desgosto, lembra-te de Cristo crucificado e cala-te.” Muito simples, contemple um crucifixo e pense no amor de Jesus.

Pelo crucifixo somos lembrados que “Deus amou de tal maneira o mundo que lhe deu Seu único Filho”. Somos lembrados que Jesus sofreu tudo o que nós sofreremos ou poderíamos sofrer, mas de uma maneira infinitamente mais intensa. Ele sofreu a escuridão emocional da traição, o abandono de seus amigos mais próximos, a agonia física de uma tortura brutal e a dor de ver sua amada mãe sofrendo com Ele. E Ele sofreu essas coisas pelo amor que tem a você, para o redimir e o conquistar com o Seu Precioso Sangue. “Fomos curados graças às suas chagas”.

Como a realidade da Paixão entra profundamente em nossas almas, somos compelidos a ver nossos problemas em sua própria perspectiva, e por fim a uni-los aos sofrimentos de Jesus.

3. Agradeça – O melhor antídoto para o pessimismo é o louvor. A realidade é que estamos sobrecarregados com as dádivas de Deus, estamos nos afogando num mar de benefícios – mas quase nunca o percebemos. Na verdade, só damos valor às coisas depois que elas vão embora, quando não mais as possuímos; agradecemos pelas duas pernas que temos apenas quando quebramos uma delas.

Se você estiver sentindo que tudo está indo mal na sua vida, faça um inventário das muitas outras coisas que estão indo bem. Relacione ao menos cinco coisas pelas quais você é agradecido. Se fizer isso, você logo perceberá que nunca conseguirá parar de relacionar as bênçãos de Deus porque elas são simplesmente muitas. As coisas boas da vida são mais sutis, mais quietas do que as coisas más, mas elas (as boas) ultrapassam infinitamente em número as ruins.

Conclusão

Não existe desculpa para o pessimismo na vida cristã. Como São Pedro afundando nas ondas, as coisas da vida tem uma maneira de nos sobrecarregar às vezes, mas temos uma esperança segura e certa, um Salvador misericordioso e inumeráveis bênçãos pelas quais agradecer. Em vez de nos lamentar, deveríamos dizer com o salmista: “Por que te deprimes, ó minha alma, e te inquietas dentro de mim? Espera em Deus, porque ainda hei de louvá-lo: Ele é minha salvação e meu Deus.”

Como você lida com o desânimo? Por quais bênçãos você é agradecido?

***

P.S.: Se estiver se sentindo desanimado, entre em contato conosco. O Courage Brasil tem conselheiros dispostos a ouvi-lo sempre que for necessário. Escreva-nos!


Um comentário:

  1. OBRIGADO PELO ARTIGO! JA ESCREVI E ESPERO ANSIOSO A RESPOSTA!!!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.