quinta-feira, 16 de agosto de 2018

[Esp] A Ladainha da Castidade


A LADAINHA DA CASTIDADE






Esta oração ajuda o leitor contemporâneo a entender o significado psicológico da castidade. Através da minha experiência pessoal e clínica, defini os elementos psicológicos centrais que impedem ou facilitam a castidade.

Reze a ladainha da seguinte forma:

- Primeiro, reze o Pai-Nosso.


- Em seguida, recite a ladainha, meditando cuidadosamente o significado de cada pedido para você.

- Ao final, reze a Oração a São Miguel Arcanjo.

* * *


Jesus, para que eu viva na casta pureza do coração, concedei-me coragem.

Para admitir que meu coração se corrompe quando imploro a aceitação das pessoas, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando transformo meu corpo - um templo do Espírito Santo - num objeto de desejo e de prazer erótico, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe pela imodéstia, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe por atitudes de conotação sexual, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando visto roupas justas e impudicas, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe por entretenimentos frívolos, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe pela hostilidade e pela raiva, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe ao sentir raiva de meus pais às escondidas, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando carrego ressentimentos, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando escondo minha vulnerabilidade, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando escondo minhas feridas emocionais, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando desejo vingar-me das pessoas que me ofenderam, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando uso dos demais para me sentir poderoso, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando eu tento estar sempre no controle, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando me falta confiança na providência de Deus, concedei-me a graça, Senhor.

Para admitir que meu coração se corrompe quando me falta confiança na justiça de Deus, concedei-me a graça, Senhor.

* * *


Da tentação de usar roupas imodestas, livrai-me, Senhor.

Da tentação de desejar ter um rosto atraente, livrai-me, Senhor.

Da tentação de desejar ter um corpo esbelto, livrai-me, Senhor.

Da tentação de deixar o corpo à mostra, livrai-me, Senhor.

Da tentação de alimentar pensamentos eróticos, livrai-me, Senhor.

Da tentação de ver material pornográfico, livrai-me, Senhor.

Da tentação de provocar excitações eróticas, livrai-me, Senhor.

Da tentação de alimentar-me da excitação erótica dos outros, livrai-me, Senhor.

Da tentação de fazer memória dos pecados passados, livrai-me, Senhor.

Da tentação de acreditar que um corpo - meu ou de alguém - possa preencher o vazio do meu coração, livrai-me, Senhor.

* * *


Para que eu ame a pureza de coração, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame a humildade, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame a quietude, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame o silêncio sagrado, inspirai-me, Senhor.

Para que eu deseje fugir do mundo corrompido e perverso, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame a oração contemplativa, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame o consolo que vem de Deus, inspirai-me, Senhor.

Para que eu ame tanto a Deus que possa afastar-me das atrações mundanas e preferir as alegrias eternas, inspirai-me, Senhor.


* * *


De que os frutos espirituais cresçam em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que o amor cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a alegria cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a paz cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a paciência cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a gentileza cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a generosidade cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a fidelidade cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a prática de boas maneiras cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que o autodomínio cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a modéstia cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.

De que a castidade cresça em meu coração, concedei-me a graça, Senhor.



Por Raymond Lloyd Richmond, P.h.D.

(Tradução pela Equipe Courage Brasil. O link original desta oração pode ser encontrado aqui)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.