sexta-feira, 2 de novembro de 2018

[Atld] Sete anos do Courage Brasil


SETE ANOS DO


COURAGE BRASIL




Éramos quatro. Quatro rapazes, sentindo atração pelo mesmo sexo (AMS), mas procurando viver o chamado da esposa de Cristo, que nos dizia: sede castos! Mas como? Como responder, nesse mundo tão sexualizado, em que a pornografia e o sexo fácil estavam ao alcance rápido das mãos, ao apelo à santidade? Como não dar ouvidos ao Movimento Gay, que nos dizia ser legítimo ter um companheiro do mesmo sexo, enquanto a Igreja nos chamava para trilhar outro caminho, dizendo que a verdadeira felicidade não se encontra neste mundo? Como ficar sem o afeto de outra pessoa? Apenas perguntas.
Já havíamos tido contato por meios virtuais. Nosso blog, de maneira tímida, começou em 15 de outubro de 2009. Outubro, mês em que se comemora o dia de Nossa Senhora das Vitórias. 15, o dia de Santa Teresa, a mulher forte, fundadora de Carmelos. Era o começo. Alguns de nós tiveram contato com o Courage dos Estados Unidos, e também com o Courage do México. O início de uma resposta se vislumbrava. Havia outros irmãos, espalhados pelo mundo, sedentos de saber o que a Igreja pedia de nós, mas também de como ter forças para tanto. O mundo gay atraía, como a sereia de canto belo e mortal, mas a Igreja deslumbrava e esclarecia. Ela, a Senhora da Verdade, transmissora da Fé imortal, tinha o que precisávamos: a verdade e a força para vive-la. E o Courage mostrou ser o que procurávamos.
Resolvemos, depois de algumas correspondências, realizar nossa primeira reunião. Éramos quase todos da terra desbravada por Nóbrega e Anchieta, da terra dos bandeirantes. Courage: Coragem! Quanta coragem não tiveram nossos primeiros desbravadores e missionários! Quanta coragem não nos foi necessária para empreender essa batalha! Mas confiamos no quinto elemento, o mais importante: Cristo, nosso único e verdadeiro amor. A Ele sempre quisemos servir e honrar, e a Ele pedíamos ajuda para continuar. Onde dois ou mais estiverem reunidos em Meu nome, aí estarei no meio deles. E ali ele esteve.
Nesta terra em que viveram santos, na terra que pisaram Santa Madre Paulina e São Frei Galvão, resolvemos nos encontrar. No dia das Santas Almas do Purgatório de 2011, nossas grandes amigas até hoje, se realizou a primeira reunião, o primeiro dia oficial de partilha. Oficial? Nem tanto. Nosso sonho era ter uma sede, um lugar sossegado de encontro, um sacerdote nos orientando, aprovação episcopal. Mas ainda era um sonho... Fazia alguns meses que os primeiros membros estavam em contato, partilhando e ajudando na divulgação do Courage (na época nos denominávamos Juventude Coragem) pela internet. No entanto, era necessário começar, ou as almas continuariam sem respostas, sem direção... Cristo nos guiaria. Discernimos, assim, depois de rezar e refletir, não adiar nossas formações, ainda que elas começassem como uma iniciativa exclusiva de leigos. Marcamos e remarcamos algumas vezes, pois éramos poucos e não era fácil conciliar agendas e encontrar um lugar para a reunião. As chuvas, próprias da estação primaveril, dificultaram o encontro, pois nos encontraríamos a céu aberto. Se Cristo muitas vezes não tinha onde dormir, porque reclamar de não ter um lugar fechado para partilhar? Mas a Providência de Deus, no entanto, sabe e ajeita tudo. No feriado do dia 2, fomos ao Centro Cultural Vergueiro, e lá se realizou a primeira reunião do Courage no Brasil. Iniciamos como são todas as reuniões do apostolado pelo mundo: orações iniciais, formação e partilha. E assim é até hoje.
Saudoso dia. O que significaram aqueles quatro? Ora, na fé católica, os números têm um significado profundo, e assim é o número quatro: ele é o número dos Evangelhos e dos seres viventes diante do trono, na visão de São João; são quatro os elementos e os pontos cardeais; quatro é também o número complementar ao três (símbolo da Trindade) espiritual, resultante em sete (símbolo da perfeição). Assim, logo após a celebração dos bem-aventurados que se encontram no Purgatório, aqueles quatro jovens, de diferentes partes de São Paulo, reuniram-se no meio do mundo, em um lugar onde outros tantos jovens mostravam seus estilos de vida, inclusive como gays assumidos. Era um dia de penitência, recordação da morte e oração pelos que partiram. Com isso em mente, os quatro começaram juntos uma jornada de luta pela castidade, confiando uns aos outros os desafios que, até ali, foram causa de sofrimento e de condenação, mas que, a partir dali, seriam motivo de encorajamento mútuo e compaixão. Se perseverassem nas Cinco Metas e Doze Passos que o Courage lhes propunha, a atração pelo mesmo sexo não seria mais um jugo pesado e mortífero. E, mesmo sendo uma cruz, seria motivo para nos orgulharmos no Céu, por termos lutado juntos, cumprindo uma das mais importantes de nossas metas, a das castas amizades, que nos mostrou que o afeto poderia ser vivido de forma legítima e em conformidade com os ensinamentos de Cristo e nossa Mãe Igreja.
Hoje, completam-se sete anos. Graças ao Bom Deus, como fizeram os bandeirantes e com o auxílio de Santa Teresa de Ávila, que fundou Carmelos pela Europa, enfrentando tudo, apenas com o auxílio de Deus, nós nos espalhamos pelo Brasil. Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Franca, Belo Horizonte, e aonde Deus quiser iremos. Começamos pequenos. Ainda somos pequenos. Mas Deus é grande, e ele nos pede para ir adiante. Conseguimos, com o tempo, o apoio de nosso clero, bispos e sacerdotes fiéis, luzeiros nestes tempos de trevas. Hoje, não somos mais quatro: somos mais de uma centena. E sabemos que Deus quer mais. Homens e mulheres, espalhados pelo país, auxiliados por sacerdotes, tem o apoio necessário e o incentivo para testemunhar ao mundo que SIM, é possível viver o que a Igreja nos pede.  E a Igreja nos pede mais. Ela nos pede que continuemos corajosamente levando sua mensagem para nossos irmãos e irmãs que sentem atração pelo mesmo sexo, e procuram por ajuda. Ela, a Santa Esposa de Cristo, quer que perseveremos e vençamos o pecado. Se Deus, por Seu desígnio, deixou-nos marcadas duas datas: o dia de Santa Teresa de Ávila, a fundadora de Carmelos, no mês da Batalha de Lepanto, em que os cristãos venceram os mouros, e o das Santas Almas, lutaremos então para vencer o mundo, espalhar células pelo Brasil e morrer santamente. Queremos, de todo o nosso coração, morrer em estado de graça e nos juntar aos bem-aventurados no canto de um eterno Aleluia, celebrando as maravilhas que o Senhor realiza em nós por Seu amor. A atração pelo mesmo sexo não é um obstáculo para nossa salvação, mas a Cruz própria que carregaremos com a ajuda dos irmãos. Podemos ser castos, podemos ser santos. Juntos, como apostolado e fraternidade, cremos que Jesus Cristo, por Sua graça, nos livra da morte eterna e, por seu sacrifício na Cruz, nos dá a vida nova.
Nossa mensagem é e será sempre: Coragem! Jesus venceu o mundo, e com ele nós também venceremos. Que venham as almas!

Rezem por nós.

Seus irmãos do

Courage Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.