segunda-feira, 12 de novembro de 2018

[QSH] Davi e Jônatas: amantes ou amigos?


O Movimento Gay, sem conhecer profundamente a Bíblia, tenta impor uma visão distorcida da amizade entre o Rei Davi e Jônatas, filho do Rei Saul. Fazendo uma abordagem rasa da Sagrada Escritura, interpretam textos fora de sua conotação histórica e cultural. Estão eles certos? Com certeza não. Davi e Jônatas foram grandes amigos, e exemplo para qualquer amizade moderna, sem nenhuma conotação sexual em seu relacionamento. O Dr. Robert Gagnon, autor do livro The Bible and Homosexual Practice (A Bíblia e a prática homossexual), mostra, com profundidade, o erro daqueles que querem deturpar a Sagrada Escritura.
A seguir, um artigo do Dr. Gagnon sobre o assunto (a página do autor pode ser encontrada aqui).

DAVI E JÔNATAS




Knust [autora que interpreta de forma heterodoxa a Sagrada Escritura] comete um erro comum a pessoas que não estão familiarizadas com antigas convenções do Oriente Próximo quando ela discute o relacionamento de Davi e Jônatas. Ela confunde a linguagem não-erótica de parentesco com a linguagem erótica do amor.
Todas as expressões que ela toma como eróticas na narrativa de Davi e Jônatas têm fortes paralelismos do Antigo Testamento e do antigo Oriente Próximo com relações não-sexuais entre parentes próximos do mesmo sexo. O narrador da Narrativa da Sucessão (1 Samuel 16, 14 até 2 Sm 5, 10) legitima a sucessão do rei Saul por Davi mostrando que Davi foi aceito por Jônatas na casa de seu pai como irmão mais velho, não como amante de Jônatas (ver A Bíblia e a Prática Homossexual, 146-54). Por exemplo:
Compare “a alma de Jônatas estava ligada à alma de Davi, e Jônatas o amava como sua própria alma” (1 Sam 18, 1; cf. 20, 17) com “a alma de [Jacó] está ligada a alma [de seu filho Benjamim] ”(Gênesis 44, 31) e “Ame o seu próximo como a si mesmo ”(Levítico 19, 18); compare-o também com a linguagem dos tratados de aliança, tais como "Você deve amá-lo como a si mesmo" (endereçado aos vassalos do rei assírio Assurbanipal) e a referência em 1 Reis 5, 1 ao rei Hirão de Tiro como "amante de Davi". "
Compare Jônatas “afeiçoou-se” a David (1 Sam 19, 1) com (1) “O rei [Saul] afeiçoou-se com você [David], e todos os seus servos te amam; agora então, torne-se o genro do rei ”(1 Sm 18, 22); com (2) “Todos os que amam Joab e estão com Davi sigam a Joab” (2Sm 20, 11); e com (3) a referência a Deus “deleitando-se” em Davi (2 Sm 15, 26; 22, 20).
Quando Davi teve que fugir de Saul, Davi e Jônatas tiveram uma reunião de despedida, na qual Davi “se curvou três vezes [a Jônatas], e eles se beijaram e choraram um ao outro” (1 Samuel 20: 41-42). Esta é uma cena erótica? Não é provável. Apenas três das vinte e sete ocorrências do verbo hebraico “beijar” têm uma dimensão erótica. A maioria refere-se a beijar entre um pai e um filho ou entre irmãos.
Num ponto da narrativa, Saul ataca seu filho Jônatas: “Você é filho de uma mulher rebelde e perversa! Não sei eu que você escolheu o filho de Jessé para sua própria vergonha e para a vergonha da nudez de sua mãe?” (1 Samuel 20, 30-34). Esta observação implica que Davi e Jônatas estavam em um relacionamento erótico? Não, Saul aqui simplesmente responsabiliza Jônatas por envergonhar a mãe que o gerou ao concordar com a reivindicação de Davi sobre o trono de Saul (cf. 2 Samuel 19, 5-6).
Quando David soube das mortes de Saul e Jônatas, ele declara sobre Jônatas: “Tu foste muito querido para mim; o teu amor para mim foi mais maravilhoso para mim do que o amor das mulheres” (2 Samuel 1, 26). O verbo hebraico para "era muito caro" é usado em sentido sexual no Antigo Testamento apenas em duas das vinte e seis ocorrências. Uma forma relacionada é usada apenas três versículos antes, quando Davi se refere a Saul como “adorável” - dificilmente em um sentido erótico. Jônatas dando seu lugar como herdeiro real e arriscando sua vida por Davi superou tudo o que Davi conhecia de um relacionamento erótico comprometido com uma mulher. Davi não está se referindo ao amor erótico por parte de Jônatas. Como Provérbios 18,24 declara em um contexto não erótico: “Há um amante / amigo que fica mais perto do que um irmão”.
A disposição dos narradores em falar da vigorosa vida heterossexual de Davi (por exemplo, sua cobiça por Betsabé) põe em evidência seu completo silêncio sobre qualquer atividade sexual entre Davi e Jônatas. Interpretações homossexuais entendem mal as implicações políticas da Narrativa da Sucessão em 1 Sam 16, 14 - 2 Sm 5, 10. Jônatas entregando seu manto, armadura, espada, arco e cinto a Davi foi um ato de investidura política (1 Sam 18, 4) que transferiu o cargo de herdeiro aparente.
A questão de enfatizar a relação próxima entre David e Jônatas foi estabelecer o fato de que Davi não era um usurpador rebelde ao trono de Saul. Ele foi suficientemente adotado por Jônatas na "casa" (família, dinastia) de seu pai. Ele se tornou o amado irmão mais velho de Jônatas. Nem os narradores da Narrativa de Sucessão nem o(s) autor(es) da História Deuteronomista mostram preocupação com o escândalo homossexual. A razão para isso é que, no contexto das antigas convenções do Oriente Próximo, nada na narrativa levantou suspeitas sobre um relacionamento homossexual.



2 comentários:

  1. Olá Courage,
    Tenho um amigo da Igreja que passa pela mesma dificuldade que eu nos desejos homoafetivos. Nos somos muito achegados e oramos e vigiamos bastante a nossa relacao para não cairmos em tentação. Nos amamos muito como irmaos, e ele é uma pessoa que me ajuda nessas questões tão difícies. Na Igreja ainda acho pouco esse tipo de auxílo, e acabamos tendo que nos esconder ou fingir que nada está acontecendo com a nossa sexualidade, sendo que muitos precisam lutar todos os dias como eu e meu amigo e não vêm solução, é uma tremenda prisão intetior. Só existe o Courage que ajuda nesta área pelo que vejo e tem pessoas que não conseguem ajuda assim mesmo, e muitos líderes e coordenadores estão despreparados para atender um homossexual na paróquia, pois o tempo todo nós acusam e dizem que somos aberrações. Vivemos encarcerados nas nossas dores. Alguns sacerdotes por mais que sejam boas pessoas, as vezes não tem preparo no atendimento com uma pessoa que tem a atração pelo mesmo sexo. É uma angústia total para quem vive assim. Embora oremos, pedindo a Graça a Deus, sempre acabamos voltando para os pensamentos tão difíceis. Mas acrediro na misericórdia do Senhor para a minha vida. Entre muitas confissões, acho que chegarei ao Céu, mesmo merecendo tão prontamente o inferno.
    Gostaria de pedir ajuda, mas não sei se poderão fazer isso.
    Obrigado! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreve para a gente, irmão. Nosso e-mail: contato@couragebrasil.com. Esperamos poder ajudar.

      Excluir

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.