quarta-feira, 20 de março de 2019

[Atld] Quaresma 2019


Uma nova mensagem


de nosso Diretor Executivo





Querida Família Courage e EnCourage,



É um dom especial da Divina Providência que o sexto mandamento e a sexta beatitude estejam ligados. Na lei mosaica, Deus ordena a seu povo respeitar a aliança do casamento e evitar a imoralidade sexual – “não cometerás adultério" (Êx 20,14). A virtude da continência permite praticar o autocontrole e abster-se de desejos e ações pecaminosos. No Sermão da Montanha, Ele nos convida a ir mais fundo, a crescer da continência para a castidade, que é "a integração bem-sucedida da sexualidade dentro da pessoa e, portanto, a unidade interna de seu ser corporal e espiritual" (Catecismo, 2337). E ele promete que nossos esforços para sermos íntegros, autênticos e castos serão recompensados com a capacidade de "ver a Deus" – compreender a nós mesmos, nossos relacionamentos com Deus e com os outros, e o plano de Deus para nossas vidas, de Sua perspectiva. Pensamentos e desejos impuros obscurecem nossa visão e se tornam obstáculos. Quando somos capazes de colocá-los de lado, podemos ver mais claramente o que Deus vê. Nós podemos "ver a Deus".

"Ao nos afastarmos do mundo e em direção à cruz, confiamos menos nos prazeres terrenos para proporcionar conforto e segurança, e encontramos nossa consolação e paz mais completamente somente em Deus".

Aqui está o segredo de todas as nossas observâncias quaresmais. Faremos muitos sacrifícios: reservando mais tempo para a oração; jejuando e desistindo das guloseimas favoritas; doando tempo e recursos para os necessitados. Todas essas práticas tradicionais são benéficas, mas apenas se reconhecermos que elas não são fins em si mesmas. Elas são destinadas a nos aprofundarmos em nosso relacionamento com Deus.

A Igreja nos lembra que “somos chamados a cumprir a vontade de Deus” em nossas vidas “unindo quaisquer sofrimentos e dificuldades” que experimentamos “ao sacrifício da cruz do Senhor” (CDF, Cuidado Pastoral de Pessoas Homossexuais, 1986, nº 11). Estamos familiarizados com essa ideia de “oferecer” nossas dores diárias e lutas como sacrifício, e a Quaresma é um tempo para fazer isso de maneira mais intencional. Esse sacrifício “é facilmente mal interpretado, no entanto, se for visto apenas como um esforço inútil de autonegação. A cruz é uma negação de si mesmo, mas a serviço da vontade de Deus, que faz a vida vir da morte e capacita os que nele confiam a praticar a virtude no lugar do vício” (ibid.). Em outras palavras, nós não fazemos sacrifícios quaresmais por si mesmos, mas porque fazer tais sacrifícios abre caminho para um novo modo de vida emergir. Ao nos afastarmos do mundo e em direção à cruz, confiamos menos nos prazeres terrenos para proporcionar conforto e segurança, e encontrar nosso consolo e paz mais completamente em Deus. Quando tiramos nossos olhos das coisas terrenas, vemos Deus e seu plano para nós mais claramente.

Eu oro para que esta Quaresma seja de paz e frutífera para você, um tempo de conversão, cura e iluminação, e que nossos sacrifícios de oração, jejum e esmola fortalecerão e purificarão toda a família Courage e EnCourage, com quem cada um de nós está unido pelo amor que nos une em Cristo. Esteja certo de minhas orações por você e seus entes queridos, especialmente quando a equipe do Escritório do Courage se reúne em nossa capela para a Missa diária. Que este tempo sagrado purifique seu coração, para que com os olhos renovados você possa ver como nunca antes a glória do Senhor Ressuscitado na Páscoa.

Atenciosamente,

Padre Philip Bochanski

Diretor Executivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.