sábado, 17 de outubro de 2020

[Esp] Como anda sua relação com Maria?

 



O relacionamento com Nossa Senhora

 

Santa Maria é modelo de todas as virtudes, mas por ser Imaculada e sempre Virgem foi designada a ser o principal modelo de pureza. Por isso, relacionar-se com ela, de forma confiante e filial, é um recurso de primeira ordem para alcançar essa virtude.

“Todos os pecados da tua vida parecem ter-se posto de pé. – Não desanimes. Pelo contrário, chama por tua Mãe, Santa Maria, com fé e abandono de criança. Ela trará o sossego à tua alma” (São Josemaría, Caminho, n. 498).

Se você nunca abandonar esta relação com Nossa Senhora, nem mesmo diante das dificuldades, das quedas e derrotas, ela fará com que você esteja preparado no momento fundamental da vida: no de entregar a alma a Deus. Nossa Mãe é especialista em conseguir isso, às vezes aos 45 do segundo tempo.

Certa vez, um jovem sacerdote recebeu um telefonema: uma voz nervosa pedia-lhe para atendesse um moribundo no seu leito de morte. Mas adiantou-lhe que seria difícil, porque os amigos e parentes não queriam ver um padre na casa “nem pintado de ouro”. Um grande desafio, por isso confiou-se à Virgem e se pôs a caminho.

Toca a campainha, abrem-lhe a porta, e a primeira impressão: uma mistura de rostos de surpresa e desagrado. Mas ele não se detém, e vai para onde pressupõe ser o quarto da pessoa doente, que o recebe com um rosto alegre, mas também surpreso. Logo reconheceu que era a mesma que o chamara por telefone:

-- Deixaram-no entrar?

-- Vi expressões de susto e gestos ofensivos, mas Nossa Senhora pode mais.

-- Obrigado. Não tenho muito tempo. Quero confessar.

Era óbvio que não lhe restava muito tempo de vida. Não se confessava há muitos anos, e assim fez. Mas antes de o padre sair, quis explicar-lhe esse milagre.

-- Estive longe da Igreja durante quarenta anos. E o senhor deve se perguntar por que chamei um sacerdote. Minha mãe, quando estava morrendo, reuniu os seus filhos e nos disse: “Olhem. Não lhes deixo nada. Mas cumpram este testamento que lhes dou: rezem três Ave-Marias todas as noites”. E eu o cumpri.

Depois de anos, o padre não se esqueceu da última cena: “Morria enquanto cantava. Para mim, tudo parecia uma canção: eu o cumpri, eu o cumpri”.

 

(INSA, Francisco. Olhar com os olhos de Jesus: viver uma vida pura no século XXI. São Paulo: Cultor de Livros, 2019)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar nosso blog

Abaixo você tem disponível um espaço para partilhar conosco suas impressões sobre os textos do Apostolado Courage. Sinta-se à vontade para expressá-las, sempre com respeito ao próximo e desejando contribuir para o crescimento e edificação de todos.