sexta-feira, 26 de junho de 2020

[Esp] São Pelágio, mártir da pureza


Há santos pouco conhecidos, mas que devem ser relembrados por seu exemplo de fidelidade às virtudes. São Pelágio, cuja devoção é pouco divulgada no Brasil, é um deles. Um homem poderoso e cheio de riquezas tentou aliciá-lo, mas foi fiel à Deus e à virtude da castidade, o que o levou a ser morto. Estamos assim dispostos a proteger esse tesouro que é a pureza? Peçamos a São Pelágio que nos consiga de Deus a mesma coragem para não cedermos à tentação que tanto nos acomete em nossos dias.



SÃO PELÁGIO,MÁRTIR DA PUREZA



 

Era São Pelágio natural da Galiza. Pelágio, nome muito usado naquele tempo, por corrupção degenerou em Pelaio e Paio. seu pai, homem rico, era irmão de Hermígio, bispo de Tuy nos princípios do século X. A ocasião da sua vinda a Córdova, que foi a do martírio, refere-o um sacerdote dessa cidade chamado Raguel.

Ensoberbecido. Abderramão III, rei emir de Córdova, quis assenhorear-se das restantes províncias da Espanha, habitadas pelos cristãos. Para tal fim chamou em seu auxílio, aí por volta do ano 920, os mouros de África. Com um exército numeroso e bem equipado entrou por Castela no reino da Galiza, ao tempo em que D. Ordonho II, rei de Leão, o era também daquela província.

Sabendo este religioso príncipe a determinação do orgulhoso agareno, e auxiliado por D. Garcia, rei da Navarra, e pelos Grandes e prelados de ambos os reinos, marchou a conter o ímpeto dos bárbaros. Encontraram-se as duas hostes. Sendo incomparável o número dos cristãos com o dos mouros, tocou a vitória a estes. Voltaram os mouros a Córdova, vencedores e carregados de despojos.

Entre os muitos cativos que levavam, ia Hermígio, bispo de Tuy, a quem puseram carregado de grilhões numa obscura masmorra. Tinha em Córdova alguns amigos, que angariou por ocasião da sua estada naquela cidade, donde trasladou as relíquias de santo Eulógio. Tratou. ao cabo de ano e meio, do seu resgate, oferecendo aos mouros as somas que quisessem pedir. E, para cumprimento da palavra, teve de deixar como refém o sobrinho Pelágio, menino de rara formosura e extraordinários talentos.

O ilustre menino sofria resignado as durezas da prisão, não se queixando nem lamentando como os outros cativos. Escolheu para mestre a S. Paulo, lendo as suas cartas e meditando os seus trabalhos apostólicos. Guardava tanta gravidade em todas as conversas que detinha os que se desmandavam e se, por acaso, os infiéis tratavam algum ponto de doutrina, confundia-os com a verdade da fé revelada. Não podia o inimigo da salvação ver com indiferença os progressos feitos por Pelágio na virtude e, por isso, quis perdê-lo.

Um filho ou pajem de el-rei viu por acaso na prisão o menino cristão de rara formosura e, ponderando o caso a Abderramão, este o mandou vir imediatamente à sua presença. Ardendo este nos mais torpes desejos, fez-lhe grandes ofertas, procurando afastá-lo do amor a Jesus Cristo e à sua lei. Este respondeu: «Fica sabendo que tudo quanto me ofereces tem um fim mortal; não assim os bens que, sendo cristão, espero conseguir. Jamais negarei ao meu Senhor Jesus Cristo, a quem adoro e confesso por verdadeiro Deus».

Pareceu a Abderramão que estas expressões nasciam de um coração pueril e, querendo acariciá-lo, tocou-lhe brandamente no rosto, dizendo palavras aliciadoras. Mas Pelágio, revisto de um valor superior à idade, repeliu-o, dizendo: «Desvia-te; pensas acaso que eu sou algum dos teus efeminados lacaios?». Fiou o rei a empresa a uns cortesãos lisonjeiros, os quais não omitiram meio algum de quantos podiam contribuir para perverter o nobilíssimo mancebo.

Vendo Abderramão que era inflexível a resistência de Pelágio, trocou a sua amorosa paixão em raivosa cólera, mandando imediatamente que, levantando-o do chão com umas tenazes de ferro, o deixassem cair muitas vezes e com grande crueldade, até que, ou negasse a Jesus Cristo, ou acabasse a vida nos tormentos. Arremeteram contra Pelágio os verdugos e começaram a fazer em seu corpo a carniçaria que aquele lobo ordenara. Despedaçavam-no com algazarra, sem em seus rostos se ver sombra de piedade. Levantava o menino as mãos para o céu, pedindo a Deus fortaleza para consumar o sacrifício. Imediatamente lhas derribaram com o alfange. Outros lhe cortaram os braços, outros os pés, decapitando-o em seguida. Feito assim em pedaços, o lançaram ao rio Guadalquivir.

Durou este glorioso combate desde as onze e meia da manhã até às duas da tarde do dia 26 de Junho de 925, o qual foi domingo naquele ano. Foi assim despedaçado aos 13 anos. O seu culto veio a tornar-se popular em Portugal.


terça-feira, 16 de junho de 2020

[Atld] Conferência on-line para sacerdotes


CONFERÊNCIA ON-LINE


PARA SACERDOTES


(EM ESPANHOL)



Acompanhando pessoas com inclinações homossexuais:
pautas pastorais à luz da verdade e da misericórdia





Fazendo eco ao convite da Igreja de acolher com «respeito, compaixão e delicadeza» (CIC § 2358) as pessoas que sentem atração pelo mesmo sexo (AMS), os experientes palestrantes desta conferência abordarão temas de formação teórica, teológica e pastoral sobre os ensinamentos da Igreja a respeito da homossexualidade e exporão uma série de pautas e conselhos para o adequado acompanhamento destes nossos irmãos à luz da verdade, da caridade e da misericórdia.
«Vivendo na verdade e no amor, cresçamos plenamente, unidos a Cristo» (Ef 4, 15).
A conferência não tem custo e está dirigida a sacerdotes e diáconos católicos. Disponibilidade limitada. Se tens alguma pergunta, por favor escreva-nos: oficina@couragerc.org.


PROGRAMAÇÃO

Sábado, 20 de junho de 2020 (Hora de Nova Iorque) -- (Horário de Brasília é uma hora a mais)

09:45 -- Conectar-se
10:00 -- Início da conferência / indicações
10:10 -- Testemunho de uma pessoa com AMS
11:00 -- Sessão de perguntas e respostas
11:15 – Descanso
11:25 -- Ensinamento da Igreja sobre a homossexualidade / Cuidado pastoral
12:15 -- Sessão de perguntas e respostas
12:30 -- Descanso (30 minutos)
13:00 -- Testemunho de uma mãe com um filho com AMS
13:45 -- Perguntas e respostas de todos os palestrantes
14:55 -- Conclusão da conferência

Este programa está sujeito a modificações.

A conferência será em ESPANHOL

PALESTRANTES

Padre Victor Luna, LC -- O padre Victor Luna é religioso da congregação dos Legionários de Cristo. Com 28 anos de vida religiosa e 18 como sacerdote, o padre de Luna acompanhou e atendeu a pessoas com atração pelo mesmo sexo (AMS) por mais de 15 anos na Europa e América do Sul. Há cinco anos serve como capelão do Courage Itália.
O Padre de Luna é licenciado em psicologia clínica pela Universidade de La Salle, Torreón, Coahuila, México e realizou seus estudos eclesiásticos de Filosofia e Teologia no Ateneo Pontificio Regina Apostolorum, na cidade de Roma. Antes do seu ingresso nos Legionários de Cristo, atuou como psicólogo por cinco anos. Como religioso, serviu como reitor do seminário Maria Mater Ecclesiae de São Paulo, Brasil, para a formação de seminaristas diocesanos. Também serviu como capelão e diretor espiritual de adolescentes, jovens, adultos e consagrados.

Andrés C. -- Andrés é licenciado em Língua Inglesa e se dedica à docência e ao serviço de uma associação sem fins lucrativos. Originário da cidade de Chihuahua, México, Andrés cresceu no seio de uma família católica conversa. Aos 16 anos, descobriu que sentia atração por pessoa do seu mesmo sexo (AMS) e começou a levar uma vida sexualmente ativa. Depois de viver por dois anos o estilo de vida homossexual, Andrés encontrou o Apostolado Courage no ano de 2009, o que marcou um antes e um depois em sua vida. Atualmente, com mais de uma década como membro do Courage, Andrés dedica parte do seu tempo a encorajar pessoas com AMS, compartilhando seu testemunho de vida em conferências e eventos que promevem a castidade.

Mãe membro do Encourage -- Uma mãe de família, membro do apostolado Encourage, compartirá conosco seu testemunho como mãe de uma pessoa com AMS.

INSCRIÇÕES

Para participar da Conferência você somente deve preencher o formulário de inscrição. Depois de enviar o formulário, você receberá um e-mail de confirmação com informação detalhada sobre como ingressar nos módulos da conferência.
Esta conferência é gratuita e está direcionada a sacerdotes e diáconos católicos. Disponibilidade limitada.
Se você tem alguma pergunta, por favor escreva-nos: oficina@couragerc.org

METODOLOGIA

Inscreva-se -- Preencha o formulário de inscrição e marque a data da conferência em sua agenda. Basta clicar aqui.
Download -- A conferência online se dará na plataforma Zoom para teleconferências. Se ainda não tem o programa instalado em seu computador, pode fazer o download neste link: https://zoom.us/download
Estuda -- Depois de haver enviado o formulário de inscrição, receberás um e-mail com um pacote de recursos pastorais informativos. Recomendamos a você lê-los para estar melhor preparado para a conferência.
Conecte-se -- Antes da conferência, você receberá por e-mail o link de acesso à conferência. Procure conectar-se com tempo [de antecedência]. Para uma melhor experiência, recomendamos utilizar fones de ouvido com microfone. Conecte-se de um lugar com bom sinal de internet. Conecte-se de um computador portátil (laptop) ou PC (não por celular).